Uma obra-prima de Ângela Borsoi: a Casa do Lelé

A designer de interiores Ângela Borsoi recebeu uma missão muito especial: restaurar a casa projetada, nos anos 70, pelo arquiteto João Filgueiras de Lima.

Após 40 anos, o projeto ‘Casinha do Lago Sul’ em Brasília foi resgatada e Ângela Borsoi conta que “É muito importante a preservação da arquitetura autoral, pois ela conta a história de determinado lugar. Ao se fazer uma intervenção em obras de arquitetura, assinadas como esta, ou em seus interiores, deve-se ter critérios a seguir: seu traçado e características arquitetônicas importantes devem ser mantidas ao máximo, – ao substituirmos os revestimentos originais deve-se pesquisar detalhes de acabamentos que sejam da mesma linguagem para preservar a memória, o DNA daquele estilo, daquela assinatura , que contam a sua história através dos tempos.”

A designer de interiores ainda lembra que “o projeto original foi realizado em 1971 e, ai aceitarmos o desafio de desenvolver a reforma da casa , sabíamos que seria preciso adaptá-la para o novo século sem alterar os traços inconfundíveis do mestre Lelé.”

O trabalho contou com os arquitetos Mariana Borsoi, sobrinha de Ângela e Humberto Araque. “Desenvolvemos uma intervenção grande, contudo, mantemos as características originais da arquitetura modernista, que marca a versão original. O objetivo foi que a beleza do projeto permanecesse viva, fazendo parte da história da jovem família, sem perder forma e força”, relata Ângela.

Foram três intervenções e o resultado impressiona. Ângela Borsoi lembra que “a primeira intervenção, realizada em 2005, adaptou a casa para as necessidades do novo século. Na segunda , em 2009, construiu-se uma área de convivência familiar no ambiente externo. E finalmente, em 2018, houve umas alterações de manutenção e adaptação às novas necessidades da família. A nova edificação da área de lazer, em estrutura metálica, – não só conversa num diálogo arquitetônico entre os tempos, como hoje, é o ponto mais utilizado pela família e seus convidados, pois é de onde mais se aprecia a beleza deste projeto!”

O projeto contou com vários parceiros e com o mobiliário da Movin Concept Store.

O curta-metragem

Dirigido por Jean Bergerot, o curta-metragem é uma viagem pela Casa do Lelé e revela de forma poética a vida não visível que está impregnada na memória de uma residência.

O curta foi selecionado para o primeiro festival de cinema de arquitetura de Brasília. Agora é possível ver a produção em https://youtu.be/4PmxTczcm5M

Fotos do projeto

Veja as imagens do projeto feitas pelo fotógrafo Edgard César:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *